Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Do Marcelo: Em busca de algum triunfo municipal, Bolsonaro atrapalha aliados

Marcelo de Moraes

Na semana final antes da eleição em primeiro turno, Jair Bolsonaro decidiu ampliar seu leque de apoios na disputa pelas prefeituras. O presidente pediu votos para Delegada Patrícia, candidata do Podemos em Recife, para, segundo suas palavras, impedir que o segundo turno seja disputado por dois candidatos de esquerda – João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT). O problema é que o apoio atrapalhou os planos de outro candidato, o ex-ministro Mendonça Filho (DEM), que também luta por uma vaga no segundo turno e tem como seu principal aliado local o senador Fernando Bezerra (MDB). E Bezerra é justamente o líder do governo Bolsonaro no Senado.

O presidente Jair Bolsonaro em visita a obras da Ferrovia de Integração Oeste Leste. FOTO GABRIELA BILO/ ESTADÃO

Claro que Bezerra e Mendonça não gostaram nem um pouco da entrada do presidente apoiando outra candidatura em Recife. Ainda mais numa disputa que parece ser uma das mais acirradas pela segunda vaga.

“Com surpresa, tomei conhecimento da decisão do presidente Jair Bolsonaro de apoiar a candidatura do Podemos à Prefeitura do Recife, a despeito da posição de neutralidade anteriormente assumida visando o equilíbrio no campo de oposição. Após comunicar o próprio Presidente, reafirmo o meu compromisso com Mendonça Filho, que possui capacidade de gestão, habilidade política e espírito público para liderar um novo ciclo político no Recife, além de estar alinhado com a agenda de retomada do crescimento do País”, afirmou um surpreso Bezerra.

O problema é que o presidente não tem obtido sucesso, até agora, nas suas duas principais apostas municipais. Celso Russomanno, em São Paulo, e Marcelo Crivella, no Rio, ambos do Republicanos, correm o risco de não chegar ao segundo turno. Outro candidato que apoia, o deputado Capitão Wagner, que disputa em Fortaleza, já vê José Sarto, ligado aos Ferreira Gomes, crescendo fortemente. Para Bolsonaro, o cenário de pedir votos para candidatos que não decolam representa um desgaste político. Por isso, se conseguir impulsionar a candidatura da Delegada Patrícia, poderá ter alguma história de triunfo na campanha municipal.

E a candidata, claro, tratou de tentar faturar o apoio presidencial. “Hoje (sábado), o presidente Jair Bolsonaro declarou seu apoio ao nosso projeto, que vai libertar o Recife desse grupo que está no poder há 20 anos. Com isso, teremos uma ponte direta com o Governo Federal, principalmente no que diz respeito à segurança e habitação”, disse.

Resta saber se a dobradinha terá sucesso e como o presidente vai administrar a decisão de ajudar uma adversária do candidato de seu próprio líder em vez de manter a neutralidade acordada anteriormente.