Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Do Marcelo: FMI projeta buraco mais fundo para a economia brasileira

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

Se as projeções feitas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) estiverem corretas, o buraco em que a economia brasileira mergulhou será maior do que se imaginava. Enquanto integrantes do governo projetam uma reação a partir do terceiro trimestre e o mercado calcula que a queda do crescimento do PIB brasileiro em 2020 ficará entre algo em torno de 6,5% e 7%, o  FMI faz uma estimativa muito pior. No seu relatório, a previsão é que o PIB brasileiro cairá em 9,1% em 2020.

Foto: AP/ JOSE LUIS MAGANA

É um desastre bem maior num momento em que todas as previsões já tinham se tornado bastante desastrosas. O Fundo previa anteriormente que o tombo brasileiro seria de 5,3%. Agora, subiu o patamar para perto do dobro. E tem gente pior, já que a previsão do Fundo para o México é de queda de 10,5%.

A visão pessimista do FMI é baseada, obviamente, na dificuldade do Brasil para combater o coronavírus. É uma constatação fácil de ser feita. Ontem mesmo, os números da doença mostraram que o País segue sem conseguir conter o coronavírus. Segundo dados do consórcio da imprensa, o Brasil teve mais 1.364 mortes registradas e soma 52.771 óbitos no total. E, claro, sempre é bom lembrar que o Brasil não tem um ministro da Saúde oficializado no cargo. A pasta vem sendo tocada de forma interina pelo general Eduardo Pazuello.

Sem dar conta da pandemia, o FMI entende que a credibilidade do Brasil e a sua capacidade de atrair investimentos externos se reduzem fortemente. E, claro, o País enfrentará um caminho muito mais complicado para garantir sua recuperação.

Tudo o que sabemos sobre:

Do MarceloFMIEconomia