Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Do Marcelo: Governo vai precisar atuar se quiser vender Eletrobrás

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

O mercado reagiu rapidamente à fala de ontem do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), colocando em dúvidas a possibilidade de privatização da Eletrobrás. As ações da companhia despencaram nessa sexta, justamente por conta da dificuldade de sucesso de sua venda. Alcolumbre disse que o governo “não tem base” para aprovar a venda no Senado e citou a resistência das bancadas do Norte e do Nordeste, contrárias à negociação da estatal. E sugeriu que ela não fosse a primeira companhia a ter sua venda discutida no Congresso, sob pena de travar todo o processo de privatizações.

Fachada da empresa Eletrobrás, no centro do Rio de Janeiro

Fachada da empresa Eletrobrás. Foto: Wilton Junior/Estadão

Claro que a situação pode ser revertida politicamente, dependendo da capacidade de articulação do governo e dos defensores do processo de desestatização. Se o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, iniciarem uma forte articulação imediatamente, podem conseguir reverter esse quadro. Mas a sinalização negativa dada por um político com a importância de Alcolumbre, que comanda o Senado, mostra que a Eletrobrás passou a ter uma situação muito mais complicada dentro do programa de privatizações.