Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Do Marcelo: Nas ‘Forças Armadas da Saúde’, coronel vira nº 2

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

O governo decidiu militarizar de vez a cúpula do Ministério da Saúde, no momento em que o País enfrenta a pandemia do coronavírus, com mais de 32 mil mortos. Depois de ontem ter oficializado o general Eduardo Pazuello como ministro interino, hoje o presidente Jair Bolsonaro efetivou o coronel do Exército Antonio Elcio Franco Filho como secretário-executivo da pasta. A medida foi publicada, nesta quinta-feira, em edição extra do Diário Oficial da União.

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello Foto: Alan Santos/PR

O coronel da reserva já vinha atuando há cerca de um mês no ministério como adjunto de Pazuello na Secretaria-Executiva. Agora, passa a ser oficialmente o número 2 da pasta, ocupando a vaga que era exatamente de Pazzuello. Franco foi secretário da Casa Civil do governo de Roraima, onde também comandou a secretaria de Saúde. Ele é mais um dos integrantes do chamado “grupo da Olimpíada”, que reúne os militares que participaram da organização dos Jogos do Rio, em 2016. Pazzuello e o ministro da Casa Civil, general Braga Netto, também são desse grupo.

Nas últimas semanas, o governo tem nomeado vários militares para funções técnicas e estratégicas na Saúde, justamente, num momento extremamente difícil de combate ao coronavírus. Pazzuello assumiu a Secretaria-Executiva com a entrada de Nelson Teich no ministério. Quando Teich pediu demissão, menos de um mês depois de sua posse, o general passou a comandar a Saúde.