Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Do Marcelo: Resultado do Caged mostra drama do desemprego disparando

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

Os dados do Caged, divulgados hoje, mostram que o desemprego já começou a disparar. Com a pandemia do coronavírus paralisando a atividade econômica, o saldo do emprego formal mostra uma redução de 763.232 vagas com carteira assinada entre janeiro e abril.

Com a pandemia, o saldo do emprego formal mostra redução de 763.232 vagas com carteira assinada entre janeiro e abril

Com a pandemia, o saldo do emprego formal mostra redução de 763.232 vagas com carteira assinada entre janeiro e abril Foto: Arquivo/Agência Brasil

Mas é importante notar que, nos dois primeiros meses do ano, quando a doença ainda não tinha se espalhado pelo País, os saldos de emprego foram positivos. A virada de chave ocorre a partir de março e explode em abril.

O saldo é negativo nesse quadrimestre em 763.232 postos de emprego, mas abril sozinho já mostra todo o drama do desemprego, perdendo 860.503 vagas apenas nesse período. Ou seja, o desemprego só não foi pior porque vinha gerando mais vagas do que fechando nos meses anteriores.

E o número de abril indica que em maio essa situação deverá piorar, uma vez que a pandemia se expandiu ainda mais. Mesmo com alguns locais retomando parte de suas atividades, esse processo será, certamente, cauteloso e lento. E, claro, dependerá do ritmo de contenção do coronavírus.

O Brasil vinha ensaiando uma recuperação na geração de empregos desde o ano passado. Com a economia entrando em crise pelo efeito causado pelo coronavírus, esse movimento acabou e passou a acontecer na direção oposta.