Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Do Marcelo: Salles prepara pacote de medidas no Meio Ambiente

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

No momento em que a política ambiental do governo volta a ser alvo de críticas, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, lança dois novos programas e já prepara outros para as próxima semana. Essa espécie de “pacote ambiental” inclui o programa Floresta Mais, que visa incentivar a preservação através de pagamentos pelos serviços ambientais feitos nas propriedades, e o Adote um Parque, que aceitará patrocínio de empresas brasileiras e estrangeiras para 132 parques do País. Nesta sexta, Salles assina a portaria que autoriza o início do Floresta Mais e, semana que vem, sairá o decreto para o Adote um Parque.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Foto: Adriano Machado/Reuters

“O Floresta Mais vai favorecer aqueles que mantiveram a reserva legal averbada, sem desmatamento, que recuperou a APP, que fez as medidas de prevenção ao incêndio, que mantém todas as medidas necessárias para evitar erosão, açoreamento. Enfim, tudo o que são boas práticas ambientais e que geram um resultado em benefício do meio ambiente. Temos um rol de ações que são mensuráveis e nós vamos remunerar essa pessoa por isso. Vamos ter os critérios geográficos, lugares que vão receber primeiro. Mas vamos remunerar quem faz a coisa direito”, disse Salles ao BRP.

Segundo o ministro, o programa valerá para todo o País, mas, simbolicamente, vai começar pela Amazônia. “O projeto piloto que receberá os primeiros recursos, que já estão aqui com a gente, será na Amazônia. Estamos fazendo o mapeamento dos lugares mais sensíveis”, afirmou Salles que pretende iniciar o Floresta Mais com pequenos proprietários assentados pelo Incra.

No Adote um Parque, as empresas que aceitarem patrocinar os parques não terão direito a fazer qualquer tipo de exploração das áreas. Nesse caso, o “lucro” pela ação será apenas para a imagem de quem quiser participar do programa. A ideia é que o patrocínio seja no volume de 10 euros por hectare.