Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Dois anos depois de triunfo, Bolsonaro fracassa como cabo eleitoral

Marcelo de Moraes

As eleições municipais deram um duro recado político para Jair Bolsonaro. Apenas dois anos depois de se eleger presidente, a imensa maioria de suas apostas já fracassaram ou vão ser derrotadas no segundo turno. Por mais que eleições locais sejam diferentes de uma disputa nacional, um desempenho tão ruim em cidades importantes mostra a perda de capital político. E num ritmo muito rápido.

O presidente Jair Bolsonaro pedindo votos para o candidato no primeiro turno em São Paulo Celso Russomanno

O presidente Jair Bolsonaro pedindo votos para o candidato no primeiro turno em São Paulo Celso Russomanno (Republicanos) Foto: Reprodução/Youtube

Nas três maiores cidades do País, Bolsonaro pôs suas fichas em candidatos que se saíram mal. Em São Paulo, Celso Russomanno terminou em quarto, derretendo nas pesquisas assim que passou a associar sua campanha com Bolsonaro. Em Belo Horizonte, Bruno Engler terminou longe do vencedor Alexandre Kalil. E, no Rio, Marcelo Crivella ainda conseguiu chegar ao segundo turno. Mas as pesquisas apontam que deverá ser derrotado por larga margem por Eduardo Paes. E o Rio é justamente o território político do presidente.

Além desses resultados, Bolsonaro precisa se preocupar com o desgaste de sua imagem nas capitais. Em São Paulo, maior cidade do País, sua rejeição já supera a marca dos 50%. Em outras praças importantes não está muito longe disso. O recado das urnas em 2020 não é bom para o presidente. Além de derrotar seus candidatos, os eleitores deram um claro voto na direção da moderação, rejeitando o radicalismo tão presente no bolsonarismo.

Até 2022, há tempo para o presidente rever suas estratégias e se reorganizar politicamente. Mas, até agora, não há sinais de mudanças à vista. Pelo contrário. E com a pandemia do coronavírus ainda forte e a economia mal das pernas, o desgaste do governo pode aumentar ainda mais.

Tudo o que sabemos sobre:

Jair BolsonaroEleições municipais