Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Doria a Bolsonaro: ‘Pare de atrapalhar quem está lutando para salvar vidas’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), contra-atacou, nesta quarta-feira, 29, os recentes comentários feitos pelo presidente Jair Bolsonaro em relação à pandemia do novo coronavírus.

“Eu posso enumerar algumas atitudes que o senhor poderia ter tomado como presidente da República e não tomou”, disse Doria, ao abrir a coletiva de imprensa desta quarta-feira, 29. O comentário do governador foi uma resposta a fala de Bolsonaro ao ser questionado sobre o recorde no número de mortes pela covid-19: “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre”.

O governador de São Paulo, João Doria, na coletiva desta quarta

O governador de São Paulo, João Doria, na coletiva desta quarta Foto: Reprodução/Governo SP

Pela manhã, Bolsonaro afirmou que Doria é quem deveria ser questionado sobre o aumento no número de mortes no Estado. “Pare com essa política de perversidade”, pediu Doria. E seguiu: “Pare de atrapalhar quem está lutando para salvar vidas”, disse o governador.

Ao falar sobre o aumento no número de óbitos no País, Doria questionou: “E agora, presidente, diante de mais de 5 mil mortos, o senhor continua afirmando que o País está vivendo uma gripezinha?”. Ontem, o Brasil superou a China em número de vítimas da covid-19.

Isolamento

A Capital e o Estado de São Paulo registraram 48% de taxa de isolamento social na terça-feira, segundo o Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP). De acordo com o governador, com esse índice, não há condições para relaxar a quarentena no Estado a partir do dia 11 de maio.

“Numa taxa de isolamento de 48% eu não preciso sequer pergunta para o doutor David Uip (coordenador do Centro de Contingência ao Coronavírus), ao doutor Germann (secretário estadual de Saúde). Não há menor condição de flexibilização com isolamento de 48%. E evidentemente com os riscos de colapso dos hospitais da capital e região metropolitana”, disse.

Tudo o que sabemos sobre:

João DoriaJair Bolsonarocoronavírus