Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Doria a favor de ato, mas só o que não impede o direito de ir e vir

Equipe BR Político

O governador João Doria afirmou não ter “nada” contra “manifestações”, mas desde que “não impeçam as pessoas no seu legítimo direito de ir e vir”. Segundo ele, os funcionários do Metrô que aderiram à paralisação desta sexta, 14, e descumpriram determinação da Justiça podem ser advertidos, suspensos ou demitidos. Doria afirmou também que os sindicatos que desobedeceram a orientação legal podem ser multados em até R$ 1 milhão, informa o Estadão.

No entanto, o coordenador do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, Wagner Fajardo, informou que a categoria só irá voltar ao trabalho a partir deste sábado, 15. “A previsão oficial (de voltar ao trabalho) é amanhã. A mobilização da categoria foi muito positiva. A categoria acatou a deliberação coletiva da assembleia, cumpriu com o papel de demonstrar a nossa insatisfação, apesar das dificuldades que enfrentamos de não ter a adesão dos ferroviários e dos motoristas de ônibus aqui da capital”, disse Fajardo.

 

Tudo o que sabemos sobre:

João Doria