Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Doria: ‘Encontro do PSDB será uma reunião conciliadora’

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

O governador de São Paulo, João Doria, acredita que o encontro nacional do PSDB, que acontecerá no sábado, 7, em Brasília, deverá ser marcado por um tom conciliador. Desde o ano passado, os tucanos tentam se reorganizar internamente depois de um duro revés nas eleições nacionais, quando a candidatura presidencial de Geraldo Alckmin acabou não decolando e o partido perdeu espaço político com a vitória de Jair Bolsonaro. Além disso, nesse período, o PSDB ainda precisou administrar o impacto provocado pela queda política de Aécio Neves, que tinha sido o candidato ao Planalto em 2014 e se viu envolvido no escândalo da JBS. Nesse movimento de recuperação interna, o ex-deputado Bruno Araújo foi escolhido como presidente nacional, com o apoio de Doria.

No meio desses contratempos, o PSDB tenta, agora, definir seus rumos e estratégias políticas para montar candidaturas competitivas para disputar as prefeituras no próximo ano e, principalmente, começar a montar a base para a disputa presidencial de 2022. Nesse sentido, Doria aparece como o principal nome tucano para a sucessão presidencial. Existe também um início de movimento em defesa também do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, mas essa é uma corrente minoritária.

“Vai ser uma reunião de conciliação, de entendimento. Aliás, é o que eu tenho pregado dentro do PSDB”, diz Doria ao BRPolítico. “Creio que esse será o tom. Esse, ao menos, é o tom do Bruno Araújo, o meu tom, como governador do Estado de São Paulo, e espero que também seja o tom do congresso do PSDB. Na convergência, no entendimento, na elaboração das novas políticas voltadas a defender o liberalismo de Centro”, afirma.

Doria também acha que será importante o evento para reforçar a linha econômica que o partido prega. “A visão de uma economia pró-privado, com menos Estado. Menos público e mais privado, com a defesa dos princípios do desenvolvimento social, voltado para a proteção dos mais pobres, a geração de emprego e o incremento de investimentos privados na economia brasileira. Esses serão princípios que serão colocados e defendidos lá”, diz.

Tudo o que sabemos sobre:

João DoriaPSDB