Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Doria lamenta mortes e defende ação policial em Paraisópolis

Equipe BR Político

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), lamentou nesta segunda, 2, as mortes de nove jovens em festa de rua na comunidade de Paraisópolis marcadas por violência policial exibida em dezenas de vídeos publicados na rede. No entanto, foi rápido em defender a atuação policial ao afirmar que a “existência de um fato não estabelece que circunstancialmente, com as alterações que devem ser feitas, não inibirão as ações de que devem ser feitas (…) Os procedimentos, a atitude e o comportamento da Polícia Militar, ou seja, o programa de Segurança Pública no Estado de São Paulo não muda. Não vai mudar (…) O governador está sendo muito claro: não vai mudar”, disse. O comandante-geral da PM, coronel Marcelo Salles, afirmou que “o gatilho iniciador do problema foi os criminosos atirando na polícia”.

Governador João Doria Foto: Felipe Rau/Estadão

Quanto à entrada no local da festa com cerca de 5 mil pessoas para buscar os tais criminosos perseguidos horas antes pela polícia, o coronel disse: “Nós iríamos ocupar? Iríamos. Só que, às 20 horas, foi feita uma análise de risco e não dava. Já estava tudo tomado naquela localização. Ingressar ali seria um erro. (Seria um erro) Dispersar ali. Tanto que esse evento ocorreu às 4 horas da manhã”, afirmou o coronel. A Ouvidoria das Polícias do Estado de São Paulo solicitou que os policiais envolvidos na violência que levou à morte dos nove jovens sejam afastados do serviço operacional das ruas.