Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

‘É meu direito não concordar e não calar’

Equipe BR Político

Um dos alvos da decisão do ministro Alexandre de Moraes que bloqueou contas em redes sociais de pessoas críticas ao Supremo, o general Paulo Chagas utilizou o Twitter para avisar: pode até cumprir as ordens judiciais, mas isso não quer dizer que concorda ou que não irá criticá-las. “É meu direito não concordar e não calar diante do que sou obrigado a aceitar e cumprir. Poderia fazê-lo anonimamente, mas isto me é vedado pela Constituição e pela minha consciência. Tenho fé na Justiça porque, como em Berlim, ainda há juízes no Brasil”, escreveu.

 

Tudo o que sabemos sobre:

General Paulo ChagasSTF