Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

É o fim das terras indígenas?

Equipe BR Político

Se depender do presidente Jair Bolsonaro, sim. Em meio à crise ambiental que atinge o governo, o presidente Jair Bolsonaro repetiu, nesta sexta-feira, 30, que seu objetivo é não demarcar mais áreas de reservas indígenas, e, ainda, rever as reservas que foram demarcadas de maneira que ele classificou como “irregular”. “Não sendo obrigado, não tem mais reserva indígena no Brasil”. Bolsonaro insinuou que as comunidades indígenas lucram com as terras protegidas vendendo-as para estrangeiros explorarem, mas não apresentou evidências sobre o comentário.

“A minha decisão é não demarcar mais terra para índios. Aquelas que foram demarcadas de forma irregular, caso tenhamos algo concreto nesse sentido, é buscar a revisão das terras”, disse o presidente. Hoje, existem cerca de 500 pedidos para novas demarcações, de acordo com o Broadcast Político. Pala manhã, o presidente falou em números aproximados. “Tem 400 pedidos de reservas indígenas. Hoje em dia, o Brasil que tem 14% de terras demarcadas, passaria para 20%.” disse. E continuou: “Não acha que é muita terra pra índio, não?”.

Na quinta-feira, 29, em sua já tradicional “live” do Facebook, o presidente também reforçou sua intenção de legalizar o garimpo nas reservas. “Se o índio quer (garimpo), vamos atender interesse do índio”. Vale lembrar que, segundo uma pesquisa do Datafolha divulgada no começo de agosto, 86% da população é contra permitir a entrada de empresas de exploração mineral nas terras indígenas.

Assine o BR Político para ter acesso a produtos e informações exclusivos. Clique neste link para se tornar um assinante.