Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Ecad calcula prejuízo de R$ 110 mi com MP do Turismo

Equipe BR Político

A medida provisória apelidada de “A Hora do Turismo” que, entre outras coisas, isenta os hotéis do pagamento de direitos autorais por músicas executadas em quartos de estabelecimentos, pode tirar da classe artística R$ 110 milhões por ano. A superintendente do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), Isabel Amorim, critica a proposta que está sob análise da equipe econômica, mas evita entrar em confronto com o governo, em entrevista ao Estadão. “Acho que não nos cabe, neste momento, opinar sobre a gestão cultural do governo, e sim continuar conscientizando o governo e a sociedade sobre o importante trabalho que fazemos em prol da música, um dos maiores bens deste País”, disse ela.

Segundo ela, “em 2018, o Ecad distribuiu R$ 971 milhões para mais de 326 mil titulares. Até outubro de 2019 foram R$ 832 milhões para mais de 358 mil titulares. Nos últimos cinco anos, houve um crescimento de 43% dos valores distribuídos”.

Compositor de “O Barquinho”, o músico Roberto Menescal, presidente da Associação Brasileira de Música e Artes, também é da opinião de que um “papo” vai resolver a questão. “A gente vai tentar bater um papo. Vem cá, vamos sentar aqui e a gente resolve. Está faltando só isso”, avaliou à reportagem.

Tudo o que sabemos sobre:

EcadIsabel Amorim