Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

O faro de Eduardo

Equipe BR Político

Desde julho, quando anunciou o plano de nomear o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) ao cargo de embaixador do Brasil em Washington, o presidente Jair Bolsonaro e o filho vêm tentando encontrar o melhor momento para consumar a indicação ao Senado.

Na noite de terça-feira, 10, o deputado afirmou que a formalização da indicação aos senadores deve ser formalizada em meados de outubro. Se isso ocorrer, de fato, o governo terá optado por esperar “limpar” a pauta no Senado, que tem a votação da reforma da Previdência e a sabatina do subprocurador Augusto Aras a curto prazo no calendário.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), indicado pelo presidente Jair Bolsonaro a embaixador do Brasil em Washington

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Foto: Marcos Correa/Presidência da República

Mesmo em banho-maria – que pode completar três meses – Eduardo diz estar “confiante” de que seu nome será aprovado. De acordo com o Broadcast Político, ele afirma que já conversou sobre o assunto com mais de 30 dos 81 senadores. “Acredito que se (a sabatina) fosse hoje, eu conseguiria a aprovação. Estou confiante. Eu não contei os votos, mas meu instinto, meu faro, e a conversa que estou tendo com os senadores tem sido positiva, inclusive de senadores que não declararam votos, aqueles neutros e indecisos”, disse, segundo o Globo.

Resta saber se o faro de Eduardo também coloca nesse cálculo a capacidade de seus familiares de produzirem novas declarações antidemocráticas, apoiadas por ele, aspirante a diplomata, até meados de outubro e como os senadores vão avaliar esse posicionamento.