Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Eduardo errou: verba de evento não iria pra oposição

Equipe BR Político

Após críticas, até mesmo de aliados, por utilizar R$800 mil do fundo partidário do PSL para realização da Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC), Eduardo Bolsonaro se defendeu com informações equivocadas. Ao contrário do que o deputado afirmou em vídeo publicado em suas redes sociais, a verba não seria reencaminhada para outros partidos, caso não fosse usada no evento.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP

Deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

De fato, como também disse na publicação, 20% da verba partidária deve ser utilizada pelas fundações para difundir as ideias da sigla. Mas, como garante a Lei 9.096/1995, os recursos que eventualmente não forem gastos retornam para aplicação em atividades do próprio PSL, no caso. O dinheiro não iria para “PT, PCdoB, PSOL, para colocar adiante sua doutrina comunista e seus valores anti-cristãos”, como afirmou Bolsonaro.

Tudo o que sabemos sobre:

Eduardo BolsonaroPSLCPACFundo Partidário