Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Eduardo diz que fala foi ‘deturpada’, mas pede desculpas

Equipe BR Político

Conforme previsto, o deputado Eduardo Bolsonaro tentou consertar o estrago político provocado por sua declaração de apoio a um novo AI-5 em caso o País seja acometido por uma onda de protestos, a exemplo do que ocorre hoje no Chile, dizendo que houve “interpretação deturpada” do que ele disse à jornalista Leda Nagle. Apesar disso, no entanto, pediu desculpas.

“Peço desculpas a quem porventura tenha entendido que eu estou estudando o retorno do AI-5, ou o governo, de alguma maneira – mesmo eu não fazendo parte do governo – está estudando qualquer medida nesse sentido. Essa possibilidade não existe. Agora, muito disso é uma interpretação deturpada do que eu falei. Eu apenas citei o AI-5. Não falei que ele estaria retornando”, disse o filho do presidente em entrevista por telefone à TV Bandeirantes.

Eduardo admitiu que talvez tenha sido “infeliz” em citar o AI-5 ao comentar os protestos que desestabilizam a gestão do presidente Sebastián Piñera. “A esquerda, em que pese o presidente chileno ter cedido ao que eles pediam, continua travando o país (…) E quando isso aí ocorre, eu talvez tenha sido infeliz em falar no AI-5, porque não existe qualquer possibilidade de retorno ao AI-5, mas, nesse cenário, o governo tem de tomar as rédeas da situação. Não pode ficar refém de grupos organizados para promover o terror. Foi tão simplesmente isso”, disse.

Tudo o que sabemos sobre:

Eduardo Bolsonaro