Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Eduardo pede que STF suspenda prorrogação da CPMI das fake news

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a suspensão da prorrogação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News. Na ação, assinada pela advogada da família Bolsonaro, Karina Kufa, que também é uma das coordenadoras do Aliança Pelo Brasil, Eduardo argumenta que, no decorrer das sessões, os objetivos da CPMI foram “desvirtuados”. 

O deputado Eduardo Bolsonaro

O deputado Eduardo Bolsonaro Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

O pedido está nas mãos do ministro Gilmar Mendes. No início de abril, o presidente da comissão, senador Angelo Coronel (PSD-BA), pediu para que fosse suspensa a contagem do prazo de 180 dias de sua instauração para concluir a investigação enquanto a pandemia impedir trabalhos presenciais do grupo. O novo prazo passou a contar a partir do dia 14. Agora, a comissão tem até 24 de outubro para seguir com as sessões.

As investigações da CPMI têm entre seus alvos membros da família Bolsonaro e funcionários do Planalto. A ação do filho do presidente Jair Bolsonaro solicita também o cancelamento de reuniões da comissão realizadas em dezembro de 2019. Eduardo acusa o senador Angelo Coronel de aprovar requerimentos “em bloco e a toque de caixa, deixando de garantir os direitos regimentais e negando aos Deputados da base aliada ao governo de situação seu direito ao contraditório”. Eduardo se queixa também da destituição de deputados da base do governo da CPMI pela deputada Joice Hasselmann (SP), atual líder do PSL na Câmara.