Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Efraim rechaça impeachment e defende celeridade a projetos econômicos

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB), criticou as falas sobre impeachment do presidente Jair Bolsonaro em live organizada pela Necton Investimentos na manhã desta segunda-feira, 20. “Falar em intervenção por um lado, e impeachment, por outro, é um desserviço para o Brasil neste momento”, disse. O deputado afirmou que o presidente Jair Bolsonaro, que participou de atos que defendiam intervenção militar e o fechamento do Congresso e STF, tem ficado “com raiva” porque não consegue andar com suas medidas no Congresso, como o fim do isolamento social. 

O líder do DEM na Câmara, Efraim Filho, durante a live da Necton Investimentos

O líder do DEM na Câmara, Efraim Filho, durante a live da Necton Investimentos Foto: Reprodução/Necton Investimentos

“Coronavírus parecia ser inimigo ideal para unir o Brasil, mas não conseguimos”, disse o parlamentar que lidera a bancada do partido do presidente da Câmara. “Fica claro, ou escancarado, que se quer uma crise política para se encobrir a crise econômica e de saúde que está instalada”, disse. 

Durante a transmissão, ele defendeu o plano de socorro aos Estados aprovado pela Câmara e disse que o Ministério da Economia demorou para agir na crise. “O Ministério da Economia não tinha agenda para crise, acabou acontecendo de forma descoordenada. O que era para ter acontecido era, primeiro, agenda de ajuda a vulneráveis, para salvar empregos e empresas e essa agenda que tem dado muito problema, a de socorro de estados e municípios. Essas três agendas foram feitas de improviso, não vieram no momento certo.”

Efraim defendeu também celeridade para a aprovação da PEC do Orçamento de Guerra, que voltou à Câmara após passar no Senado com modificações e disse que a Câmara deve votar nesta semana o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), incluindo uma emenda para permitir que intermediadoras financeiras possam atuar na concessão de crédito para esses pequenos empresários.

Tudo o que sabemos sobre:

Efraim FilhogovernoJair Bolsonarocâmara