Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Eleições nas Redes: A ‘chapa imbatível’ de Santana é também ‘impossível’

Marlos Ápyus

Exclusivo para assinantes

Ontem, em histórica participação no Roda Viva, João Santana afirmou que uma chapa com Ciro Gomes disputando a Presidência da República, e Lula almejando a Vice-Presidência em 2022, seria imbatível. O ex-marqueteiro do PT inspirou-se no case de sucesso da Argentina, onde Cristina Kirchner, mesmo com graves problemas na Justiça, conseguiu voltar ao poder, ainda que na sombra de Alberto Fernández, atual presidente.

Apesar do potencial da ideia, o próprio Santana carimbou a proposta de “impossível”. Por causa “dos egos, dos venenos“. Um breve passeio pelas redes sociais confirma a impossibilidade, ainda que haja um esforço de parte dos eleitores para que a esquerda como um todo seja menos partidária na disputa deste ano, e mais ideológica.

Ontem mesmo, a petista Luizianne Lins, que vem garantindo uma vaga no segundo turno na briga pela prefeitura de Fortaleza, reclamou de ataques que sofre de Sarto, candidato de Ciro Gomes. No Rio, enquanto eleitores de Martha Rocha, candidata do PDT, reclamam de rasteiras petistas; eleitores de Benedita da Silva, candidata do PT, reclamam de rasteiras de “ciristas”.

Até um perfil temático que diariamente simula chapas presidenciais com Ciro Gomes à frente não fez questão de esconder os obstáculos da proposta de Santana, preferindo antes questionar os seguidores se poderia colocar Lula como o homenageado do dia. Após 1.511 votos, o próprio público preferiu que a ideia nem virasse meme. Como alternativa, o “vice do dia” foi Ricardo Galvão, um nome que exige ao menos uma busca no Google para se ter certeza de quem é.

Para João Santana, “se as esquerdas se reunirem em torno de Ciro Gomes, Ciro Gomes pode ser um candidato extremamente viável“. Só falta combinar com os russos.