Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Eleições nas Redes: Bolsonarista contra bolsonarista

Marlos Ápyus

Exclusivo para assinantes

Eleito deputado federal em 2018 com pouco mais de cem mil votos, Lafayette Andrada vinha tendo uma participação discreta na disputa pela prefeitura de Belo Horizonte. No Datafolha da semana passada, enquanto Alexandre Kalil reafirmava a condição de favorito para uma vitória ainda em primeiro turno, o candidato do Republicanos não chegava a 1% das intenções de votos. Mas a fuga do traficante André do Rap tem atraído a atenção das redes sociais ao parlamentar.

Andrada foi o autor da emenda ao Código de Processo Penal que permitiu à liderança do PCC sair da prisão pela porta da frente. Até ontem, o caso ainda não havia sido explorado no programa eleitoral. Mas uma tentativa de emplacar uma narrativa favorável rendeu, no Twitter, muito mais críticas raivosas do que endossos.

Militantes mais à esquerda não economizam nos lembretes de que Andrada é apoiador de Jair Bolsonaro. E, de fato, o perfil verificado do bolsonarista destaca até hoje uma postagem de setembro na qual divide a cena com o presidente da República.

Hoje participei de um café da manhã com o Presidente Jair Bolsonaro, conversamos sobre pautas para Belo Horizonte, e os…

Publicado por Lafayette Andrada em Quarta-feira, 2 de setembro de 2020

Mas os demais bolsonaristas não poupam o colega de militância. Batizaram a polêmica alteração de “emenda Lafayette”, e a todo tempo convocam o autor a assumir a responsabilidade pelo texto.

A quebra de padrão, no entanto, pode ter explicações simples. Afinal, o caso vem sendo explorado para prejudicar a candidatura de Celso Russomanno, candidato em São Paulo pelo mesmo partido. Mas principalmente porque, em BH, Bolsonaro já declarou apoio a Bruno Engler, nome que se encontra nas pesquisas em uma situação levemente mais confortável — e ainda que, pela margem de erro de 3 pontos percentuais, ambos sigam empatados.