Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Eleições nas Redes: Números do primeiro mês de campanha virtual

Marlos Ápyus

Exclusivo para assinantes

No último dia 26, os candidatos da eleição municipal chegaram ao 30º dia de campanha na internet. Pela biblioteca de anúncios disponibilizada por Mark Zuckerberg, é possível observar como os marqueteiros têm apostado na web. Neste primeiro mês, foram impulsionados quase 250 mil anúncios sobre temas sociais, eleições ou política —o que atinge também algum conteúdo sobre cursos e consultorias— no Facebook, Instagram, Messenger e Audience NetWork. Ao todo, foram investidos R$ 19,8 milhões, ou R$ 27,5 mil por hora.

São Paulo é com folga o estado que mais abriu a carteira, mas alguns resultados nordestinos saltam aos olhos. Das dez candidaturas que mais apostaram na publicidade online, sete ficam no Nordeste, quatro delas em Fortaleza. Só duas são de vereadores, e só uma não almeja o comando de uma capital — a de Rodrigo Valadares, que mira a prefeitura de Sorocaba, no interior paulista.

Percebe-se uma anomalia nas buscas por palavras-chaves. Enquanto mais de 50 mil anúncios citaram os cargos em disputa, menos de 5 mil traziam as expressões “prefeita” ou “vereadora”, o que fortalece a suspeita de que mais uma vez as candidaturas femininas estariam abaixo da cota estipulada. Em anos anteriores, o TSE percebeu que candidatas com poucos votos, sem atos de campanha ou mesmo gastos declarados tinham sido registradas apenas para fraudar a lei eleitoral.

É possível também sentir o clima da corrida presidencial a se concluir em 2022. Dentre os nomes já aventados nas pesquisas, Jair Bolsonaro reina com tranquilidade, sendo citado (positiva ou negativamente) em mais de mil postagens. Mas, na tarde deste 28 de outubro, já havia mais anúncios ativos com alguma referência a Lula — o que pode significar que não só Celso Russomanno estaria tomando uma distância segura de um presidente com rejeição alta nos maiores centros.

O “pódio” é completado por Guilherme Boulos, que leva vantagem nessa competição alternativa por concorrer na oficial à prefeitura de São Paulo. Não fosse por isso, a medalha de bronze ficaria com João Doria, ainda que as menções ao governador de São Paulo costumem ser negativas.