Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Eleições nas Redes: Uma campanha lucrativa

Marlos Ápyus

Exclusivo para assinantes

Desde o último agosto, quando finalmente liberada, a biblioteca do Facebook já registrou quase 250 mil anúncios sobre temas sociais, eleições ou política, o que engordou a conta bancária de Mark Zuckerberg em 17 milhões de reais. Um terço dessa quantia, no entanto, foi contabilizada apenas na última semana.

Na comparação com os 30 dias que se encerraram no 18 de outubro, os anunciantes brasileiros desse nicho dobraram o investimento, chegando a R$ 760 mil de média diária. Para efeito de comparação, em todo o primeiro semestre, a Secretaria de Comunicação do governo Bolsonaro investiu R$ 2,3 milhões em anúncios no Facebook, o dobro do que havia pago no mesmo período de 2019.

Como esperado, São Paulo é quem mais abre o cofre a este tipo de publicidade, sendo o único estado a superar o milhão de reais na última semana. Proporcionalmente, contudo, é apenas o nono. Investindo uma média de 10 centavos por eleitor, Roraima é a unidade da federação que mais vem apostando na ferramenta, seguida por Mato Grosso, Ceará, Santa Catarina e Paraná.

Contudo, chama a atenção o caso do Distrito Federal. Não pela quantia, que até superou os valores investidos no Amapá e no Acre, mas sem chegar a R$ 15 mil em 7 dias. E sim pelo simples fato de que não há eleição na capital federal esse ano.

Tudo o que sabemos sobre:

Facebookredes sociaiseleições 2020