Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Eliana Calmon critica Toffoli

Equipe BR Político

A ex-ministra do STJ Eliana Calmon afirmou que o presidente do STF, Dias Toffoli, agiu como um “senhor todo poderoso” ao suspender a investigação criminal do caso Fabrício Queiroz pelo uso de dados do Coaf. Em entrevista à Folha, a ex-juíza não poupou Toffoli: “Ele dá uma liminar [decisão provisória] em pleno recesso, não respeita a opinião colegiada e decide que só em novembro o caso vai ser julgado. Isso é muito grave”.

Para ela, o uso de informações do Coaf para embasar investigações não caracteriza quebra de sigilo fiscal dos investigados. “É realmente um retrocesso em nível internacional, inutilizando investigações importantíssimas. Até a Suíça abriu os seus cofres para mostrar o esconderijo, porque o Brasil era uma grande lavanderia. Hoje, o mundo civilizado está muito preocupado com a lavagem de dinheiro.”