Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Em 18 anos, Amazônia perdeu 269,8 mil km² de área natural

Cassia Miranda

Exclusivo para assinantes

Nos últimos 18 anos, todos os biomas brasileiros tiveram perda de área natural. A Amazônia foi o bioma que mais devastado. Segundo dados divulgados nesta quinta-feira, 24, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foram 269,8 mil quadrados derrubados no período. No total, de 2000 a 2018, o Brasil perdeu 500 mil quilômetros quadrados da área natural, o equivalente a duas vezes o tamanho do Estado de São Paulo.

Gado bovino na região amazônica, no Acre Foto: Bruno Kelly/Reuters

Em 2000, a cobertura florestal representava 81,9% da área total da Amazônia, proporção que se reduziu para 75,7% em 2018. Essa área foi substituída, principalmente, por áreas de pastagem com manejo, que passaram de 248,8 mil km² para 426,4 mil km² nesse período.

Cerrado aparece na sequência, com área perdida equivalente a 152,7 mil quadrados em cobertura natural. Em termos porcentuais, o Pampa foi o que mais perdeu área natural, -16,8%. De acordo com o levantamento, a Mata Atlântica tem apenas 16,6% de suas áreas naturais. Em 2018, essa foi a menor taxa verificada entre os biomas nacionais.

Pantanal

A região pantaneira, que nas últimas semanas sofre com queimadas recorde, teve as menores perdas, em área (-2,1 mil km²) e em porcentual (-1,6%) no período analisado. No entanto, desde 2010, cerca de 60% das mudanças foram de áreas naturais campestres para pastagem com manejo.