Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Em defesa do fim do isolamento, Eduardo fala até em ‘morte’ de avós

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

No “vale-tudo” do governo para tentar acabar com o isolamento social, o deputado Eduardo Bolsonaro minimizou até mesmo uma possível morte de suas avós em decorrência do novo coronavírus. O deputado falou em uma “live” com o empresário Álvaro Garnero, que, liberada a população para voltar às ruas, “pode ser que” uma delas pegue a doença e “venha a falecer”. “Mas o que a gente pode fazer?”, questionou Eduardo.

O comentário do parlamentar estava em meio a defesa do chamado “isolamento vertical”. Rejeitado por especialistas, a medida consistiria em adotar uma quarentena para grupos mais vulneráveis ao coronavírus e liberar o resto da população para volta ao trabalho. “É isso que o presidente fala. Desculpa trazer a má notícia para vocês, mas a realidade é: as pessoas vão ser contaminadas, algumas morrerão. Isso vai acontecer. É lamentável, queria que não morresse nenhuma”, disse o “03”, adotando o mesmo discurso de seu pai que “140 milhões de brasileiros” serão contaminados antes de terminar a pandemia de coronavírus.

Confira o trecho:

Tudo o que sabemos sobre:

Eduardo Bolsonarocoronavírus