Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Em discórdia bolsonarista no Rio, Otoni de Paula vira ‘traidor’

Alexandra Martins

Exclusivo para assinantes

Em São João de Meriti (RJ), os bolsonaristas estão em pé de guerra na disputa municipal. Cabo eleitoral do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) e do presidente Jair Bolsonaro, o deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ) foi chamado no sábado, 7, de “traidor”. O coro “ôooo, Otoni traidor, Otoni traidor, Otoni traidor ô” foi puxado pelo deputado estadual Anderson Moraes (PSL) e os federais Major Fabiana (PSL) e Carlos Jordy (PSL), ao lado do candidato a prefeito de São João de Meriti, o vereador e policial rodoviário federal Charlles Batista (Republicanos). Isso porque Otoni afirmara que o atual prefeito e candidato à reeleição, Dr. João (DEM), poderia receber o apoio do governo federal ou do próprio presidente Jair Bolsonaro caso vencesse de novo.

“A quem eu trai? O presidente Bolsonaro? Quando? Quando não apoiei Charlles Batista? É isso mesmo? Mas o presidente nunca me ligou para apoiar Charlles Batista. Aliás, o próprio Charlles sabe que nem o senador Flávio Bolsonaro me ligou pedindo apoio ao Charlles Batista. Alias, eu te disse isso, Charlles. Se o senador Flávio Bolsonaro me ligasse pedindo que lhe apoiasse, eu lhe apoiaria. Você lembra disso? Mas nem o senador me ligou”, afirmou Otoni em vídeo na sequência, publicado pelo Extra, mostrando quem dá as cartas na Baixada Fluminense.

E dobrou a aposta: “Se o presidente me ligar agora, pedindo que eu apoie Charles Batista, vou querer saber se é mesmo o presidente, porque eu acho que o presidente não vai querer colocar a cara dele para Charlles Batista. Vai presidente? O senhor vai pedir apoio para Charlles Batista, presidente? Acho que não. O senhor tem caráter e o senhor não faria isso”.