Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Em MG, prefeitos vão decidir sobre reabertura de salões e academias

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Diferentemente de outros Estados em que os governadores já afirmaram que não vão adotar o decreto editado na última segunda pelo presidente Jair Bolsonaro que inclui salões de beleza, barbearias e academias na lista de atividades essenciais, em Minas Gerais, o governador Romeu Zema (Novo) passou a decisão para os prefeitos.

O governo de Minas Gerais, Romeu Zema

O governo de Minas Gerais, Romeu Zema. Foto: Washington Alves/Estadão

Pelas redes sociais, ele afirmou que cada chefe do Executivo municipal “deve analisar o cenário da saúde na cidade, como já decidiu o STF”, escreveu. Citanto novamente a decisão da Corte, Zema afirmou que “o decreto federal que considera esses serviços como essenciais, não altera a autonomia de gestão dos municípios”.

Nesta semana, cidades mineiras, como Nova Lima e Lagoa Santa, flexibilizaram a quarentena com abertura de lojas e restaurantes e registraram aglomerações. “A recomendação do governo de Minas tem o objetivo de orientar as prefeituras, priorizando e preservando a saúde da população. Sendo assim, ficará a critério de cada prefeito aderir ao programa e seguir os protocolos em seu município”, concluiu o governador.