Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Em show de desinformação, Bolsonaro diz que não tomará vacina

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

Jair Bolsonaro manteve a tradição de transformar sua “live” de quinta-feira nas redes sociais em um show de desinformação sobre a pandemia de coronavírus. Além de seus desafetos políticos, como o governador João Doria (PSDB), o presidente colocou como alvo o uso de máscaras e as vacinas, que junto do distanciamento social são as principais armas contra a doença. Disse, por exemplo, que a utilização do equipamento de proteção é um “tabu” que deve cair. E avisou que não tomará nenhuma vacina contra a covid-19, mesmo após certificada pela Anvisa.

“Um plano de imunização já está praticamente pronto para imunizar quem quer. Eu digo que eu não vou tomar. É um direito meu. E tenho certeza que o Parlamento não vai criar dificuldade para quem não quiser tomar vacina”, disse. “Há uma preocupação de todo mundo que interesses outros podem estar envolvidas nessa questão da vacina. É muito interesse desse governador [João Doria] de salvar vidas. Se ele morrer hoje vai para o céu. Muito interesse em salvar vidas. É o santo da calça apertada”, disse Bolsonaro.

O presidente entrou no assunto ao reclamar  da derrubada de um veto seu, sobre a obrigação da Anvisa em analisar em até 72 horas medicamentos e vacinas que já tenham sido aprovados em outros países. “A derrubada desse veto meu não foi bem-vinda. Nos não queremos atrasar nada. Uma vez certificada pela Anvisa, qualquer medicamento ou qualquer vacina, da nossa parte imediatamente nos providenciaremos a compra.”

Tudo o que sabemos sobre:

Jair Bolsonarovacinascoronavírus