Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Em SP, apoio de Bolsonaro, Doria e Lula ‘atrapalha’ candidatos

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

De acordo com pesquisa divulgada nesta quinta-feira, 5, pela XP/Ipespe o efeito do apoio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), do ex-presidente Lula (PT) e do governador João Doria (PSDB) a um candidato a vereador ou prefeito em São Paulo mais diminui do que aumenta a chance de ele ser votado no pleito deste ano.

Para os 800 eleitores perguntados via telefone, o apoio do presidente Bolsonaro diminuiu em 47% a chance de o postulante receber o voto nas eleições municipais. Para 16% o apadrinhamento aumenta as chances e para 34% não altera. Na capital paulista, o candidato à Prefeitura Celso Russomanno (Republicanos), que é apoiado pelo presidente, tem visto sua pontuação cair semana após semana, segundo a própria pesquisa.

Já um candidato apoiado por Lula, como é o caso de Jilmar Tatto, que tem 4% das intenções de voto, as chances de ser o escolhido do eleitorado diminuem em 45%, aumentam em 21% e não se alteram para 32% dos eleitores.

No caso do governador do Estado, a chance de um candidato apadrinhado por Doria ser o escolhido pelos entrevistados cai em 45%, aumenta em 10% e não se altera em 42%. Ainda assim, o líder da corrida pela Prefeitura de São Paulo, com 26% das intenções de votos, é Bruno Covas (PSDB), ex-vice de Doria na gestão municipal.

Sob encomenda da XP Investimentos, o Ipespe ouviu 800 eleitores, por telefone, de São Paulo entre os dias 2 e 3 de novembro de 2020. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob a identificação SP-00875/2020.

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

LulaJoão DoriaJair BolsonaroSão Paulo