Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Em SP, volta às aulas presenciais será gradual a partir de 8 de setembro

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta, 24, que o retorno às aulas presenciais no Estado será feito de forma gradual a partir de 8 de setembro nas redes pública e privada do ensino infantil, fundamental, médio e superior. Atualmente, cerca de 13 milhões de estudantes têm aula remota em razão da pandemia do novo coronavírus. Numa primeira fase, a volta às salas de aula vai atender 35% dos alunos, depois 70% e, em seguida, 100%. A reabertura das escolas só ocorrerá quando todas as cidades do Estado estiverem em fase de maior flexibilização da quarentena, ou seja, não será regionalizada. “Não vamos fazer uma abertura regionalizada para ter problema com pessoas que vão do interior para a capital estudar ou vice-versa, faremos tudo junto”, disse o secretário do Estado da Educação, Rossieli Soares.

A partir de 8 de setembro as redes pública e privada do ensino infantil, fundamental, médio e superior retornarão às aulas gradualmente

A partir de 8 de setembro as redes pública e privada do ensino infantil, fundamental, médio e superior retornarão às aulas gradualmente

De acordo com o governo paulista, o objetivo é que 100% dos alunos tenham condições de ir à escola ao menos uma vez por semana. “O nosso planejamento é de que todos os alunos, 100% deles, possam ter a oportunidade de ir à escola pelo menos uma vez na semana, mas nós discutiremos. A nossa previsão é de que no fim de julho entreguemos o protocolo detalhado da rede estadual”, afirmou Rossieli.

Ciente do esforço de alunos e professores para que o ano letivo não seja perdido, o governo deve ofertar um 4º ano do ensino médio facultativo em 2021. “O problema da aprendizagem será resolvido de dois a três anos. Nós temos um impacto muito grande. Estamos falando de algo que deverá ter um planejamento de recuperação que irá até o final de 2022. Para os estudantes finalistas, que não estarão com a gente por muito mais tempo, estamos dando a opção do quarto optativo”, acrescentou o secretário de Educação.

Será obrigatório uso de máscara dentro da instituição de ensino o tempo todo, no transporte escolar e em todo o percurso de casa até a escola. Profissionais da educação também serão testados, especialmente os de grupo de risco, assim como as famílias serão orientadas, segundo o governo, para que não mandem para a escola alunos que apresentarem sintomas da covid-19.

No último dia 16, o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) divulgou diretrizes nacionais para um protocolo de retorno às aulas presenciais. Veja abaixo os principais itens:

  • Observância do número de alunos por sala, considerada a metragem quadrada de espaço individual;
  • Cancelamento de atividades em grupos de alunos;
  • Rotinas de revezamento dos horários de entrada, saída, recreação, alimentação e demais deslocamentos coletivos dos estudantes no ambiente escolar;
  • Sinalização de rotas dentro das escolas para que os alunos mantenham distância entre si;
  • Controle de temperatura de estudantes e servidores;
  • Disponibilidade de máscaras individuais;
  • Lavatórios/pias com dispensador de sabonete líquido, suporte com papel toalha, lixeira com tampa com acionamento por pedal e dispensadores com álcool em gel em pontos de maior circulação (recepção, corredores e refeitório);
  • Tapetes com solução higienizadora para limpeza dos calçados antes de adentrar na escola; dosadores de álcool em gel na entrada de todas as escolas para que os alunos higienizem as mãos quando entrarem e saírem da escola;
  • Adequação dos sanitários;
  • Mídias promovendo rotinas de higienização por estudantes e servidores; campanha publicitária; cartazes e outras formas de divulgação no ambiente escolar;
  • Rotinas de aeração, higienização e desinfecção dos espaços escolares e de seus acessos (maçanetas das portas, por exemplo);
  • Rotinas de triagem e higienização na entrada da escola;
  • Desativação de bebedouros com disparo para boca e incentivo à utilização de garrafinhas individuais;
  • Prioridade para o uso de materiais descartáveis de uma maneira geral;
  • Orientação à equipe escolar para identificação dos sinais e sintomas e procedimentos em caso de suspeição de contaminação;
  • Comunicação à autoridade local quando ocorrer um caso suspeito ou confirmado de contaminação na escola;
  • Existência de ambiente para promoção do isolamento imediato de qualquer pessoa que apresente os sintomas característicos de contaminação, orientando-a e a seus familiares, a seguirem os procedimentos indicados pelas autoridades de saúde pública. Encaminha para casa, seu retorno à unidade escolar estará condicionado à apresentação de laudo médico;
  • Redução do número de estudantes por veículo escolar;
  • Desinfecção dos ônibus escolares;
  • Orientação e supervisão do recebimento e armazenamento adequado de alimentos trazidos de casa (limpeza da embalagem antes de armazenamento na escola);
  • Cuidados no preparo e distribuição da alimentação escolar: uniformes, máscaras, luvas, talheres, etc;
  • Marcação de lugares nos refeitórios, para minimizar a movimentação;
  • Reorganização dos demais espaços escolares (biblioteca, laboratórios, área de esporte, áreas de trabalho, etc.);
  • A organização dos espaços de atividades e de trabalho deverá contemplar todas as medidas necessárias à segurança sanitária.

Tudo o que sabemos sobre:

volta às aulasSão Paulopandemia