Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Embaixador dos EUA nega ter usado reeleição de Trump em conversa sobre etanol

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman, negou em nota que tenha atrelado uma redução na alíquota de importação de etanol com uma “ajuda” para eleição de Donald Trump. “Qualquer interpretação de que minha defesa de interesses comerciais de longa data, durante um ano eleitoral, foi uma tentativa para beneficiar um candidato presidencial específico é simplesmente incorreta”, disse Chapman.

Como foi noticiado na última semana, Chapman teria dito para autoridades brasileiras que o fim da sobretaxa sobre o etanol advindo do exterior poderia beneficiar Trump contra Joe Bieden. Em especial, em Iowa, já que o Estado americano é um importador do combustível e um colégio eleitoral chave para o pleito.

O assunto também preocupou autoridades do Congresso dos EUA. Eliot Engle, presidente do Comitê de Relações Exteriores do Parlamento americano, requisitou que Chapman enviasse para os deputados todas correspondências trocadas com autoridades brasileiras sobre o assunto. “O meu papel nessas reuniões foi continuar a defender o comércio aberto e a cooperação em questões comerciais, bem como buscar outras áreas de interesse mútuo para o Brasil e os Estados Unidos”, completou Chapman na nota.