Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Embraer afirma que Boeing ‘rescindiu indevidamente’ acordo

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

A Embraer reagiu à decisão anunciada hoje pela Boeing de romper o acordo para comprar a divisão de aviação comercial da empresa brasileira. A negociação estava estimada em US$ 4,2 bilhões e foi encerrada hoje com a alegação feita pela Boeing de que a Embraer não estaria atendendo as condições necessárias para a conclusão da operação. A Boeing, porém, não especifica quais seriam esses pontos que apresentavam problemas.

Em nota oficial, a Embraer diz que “acredita firmemente que a Boeing rescindiu indevidamente o Acordo Global da Operação (MTA) e fabricou falsas alegações como pretexto para tentar evitar seus compromissos de fechar a transação e pagar à Embraer o preço de compra de U$ 4,2 bilhões”.

Na nota, a Embraer acrescenta que “a empresa acredita que a Boeing adotou um padrão sistemático de atraso e violações repetidas ao MTA, devido à falta de vontade em concluir a transação, sua condição financeira, ao 737 MAX e outros problemas comerciais e de reputação”.

“A Embraer acredita que está em total conformidade com suas obrigações previstas no MTA e que cumpriu todas as condições necessárias previstas até 24 de abril de 2020. A empresa buscará todas as medidas cabíveis contra a Boeing pelos danos sofridos como resultado do cancelamento indevido e da violação do MTA”, acrescenta o texto.

“A Embraer se mantém uma empresa bem-sucedida, eficiente, diversificada e verticalmente integrada, com histórico de sucesso no atendimento a clientes com produtos e serviços, construídos em uma base sólida de recursos industriais e de engenharia. A empresa é uma exportadora e desenvolvedora de tecnologia, com atuação global em aviação de defesa, executiva e comercial. Nossa história de mais de 50 anos está alinhada com muitas vitórias, mas também com alguns momentos difíceis. Todos eles foram superados. E é exatamente isso que vamos fazer novamente. Superar esses desafios com força e determinação”, conclui o comunicado.

Tudo o que sabemos sobre:

embraerboeing