Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Equipe de Trump continua travando acesso de Biden a estrutura de transição

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Enquanto o governo de Donald Trump atrasa a assinatura de uma carta permitindo que a equipe de transição de Joe Biden inicie formalmente seu trabalho, o presidente americano continua fazendo posts sobre supostas fraudes na eleição sem apresentar provas nesta segunda-feira, 9. Biden, declarado eleito próximo presidente dos Estados Unidos no sábado, nesse meio tempo, já inaugurou um conselho contra a covid-19 em sua equipe e vem atualizando o público sobre o trabalho iniciado para conter a pandemia quando colocar os pés na Casa Branca.

O democrata eleito próximo presidente dos EUA, Joe Biden, e o presidente Donald Trump

O democrata eleito próximo presidente dos EUA, Joe Biden, e o presidente Donald Trump Foto: Angela Weiss e Mandel Ngan/AFP

A tradição, nos EUA, é que a Administração de Serviços Gerais assine os papéis que entregam oficialmente milhões de dólares em recursos, dão acesso a funcionários do governo, espaço de escritório em agências e equipamentos autorizados para as equipes de transição horas depois ou no dia seguinte da declaração do vencedor da eleição. 

A única vez em que o processo foi atrasado na história moderna do país foi em 2000, quando uma recontagem de votos foi iniciada na Flórida e posteriormente interrompida pela Suprema Corte americana no embate de Bush contra Al Gore. Em 2020, o atraso pode ocorrer de novo, enquanto Trump tenta judicializar a eleição com acusações até agora infundadas e sem evidências de fraude na contagem de votos e se recusa a reconhecer o democrata como vencedor.

Apenas nesta segunda, Biden já deu declarações sobre a vacina contra o coronavírus, anunciou a equipe que trabalhará no conselho de combate à pandemia e citou as medidas que pretende tomar para frear a pandemia enquanto o imunizante não está disponível. Sobre a vacina, seu discurso, no dia em que o imunizante desenvolvido nos EUA pela Pfizer confirmou eficácia de 90%, foi realista. Biden afirmou que a vacina não estará disponível para a população ainda por vários meses, detalhou os critérios que considerará para distribuição e garantiu que ela será gratuita à população do país.

A posse do democrata está marcada para o dia 20 de janeiro. A votação dos delegados dos colégios eleitorais, para 14 de dezembro. Entre essas datas, a secretária da agência responsável por autorizar o acesso da equipe de transição ao governo, Emily W. Murphy, evita dar previsão de quando reconhecerá o presidente eleito. Nas últimas horas, Trump já fez cinco publicações citando as supostas fraudes em que diz acreditar nos Estados da Pensylvannia, Wisconsin e Georgia.