Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Ernesto espera retratação da China por ‘repostagem ofensiva’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O chanceler brasileiro Ernesto Araújo divulgou nota nesta tarde de quinta, 18, em resposta ao embaraço diplomático criado pelo deputado Eduardo Bolsonaro na noite de quarta, 18, quando o filho do presidente culpou o país asiático pela pandemia do coronavírus. No texto, o ministro das Relações Exteriores diz ter expectativa “de uma retratação por sua repostagem ofensiva ao Chefe de Estado” em referência à resposta do embaixador chinês Yang Wanming, que rebatera de forma dura às declarações do parlamentar brasileiro. “Já comuniquei ao embaixador da China a insatisfação do governo brasileiro com seu comportamento. Temos expectativa de uma retratação por sua repostagem ofensiva ao chefe de estado”, escreveu Ernesto, sem detalhar qual mensagem ofensiva fora repostada pelo embaixador chinês contra um chefe de Estado brasileiro.

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo Foto: Antonio Lacerda/EFE

Uma das respostas de Wanming apontava que Eduardo “foi recentemente a Miami e trouxe de volta o vírus do pensamento que envenenou os sentimentos amigáveis entre a China e o Paquistão. Você não tem uma perspectiva internacional, é ignorante sobre a China, ignorante sobre o mundo e ignorância sobre a história”.

A mensagem de Ernesto diz ainda que Eduardo não ofendeu nenhum chefe de Estado chinês. “Cabe lembrar, entretanto, que em nenhum momento ele (Eduardo) ofendeu o Chefe de Estado chinês. A reação do embaixador foi, assim, desproporcional e feriu a boa prática diplomática”, avaliou. Eduardo acusa a China de esconder propositalmente a gravidade da doença, de modo semelhante ao que fizeram os soviéticos no acidente nuclear de Chernobyl.

Tudo o que sabemos sobre:

Ernesto AraújoEduardo BolsonaroChina