Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Erros estratégicos prejudicam a Previdência

Equipe BR Político

Em dia decisivo para a aprovação da Reforma da Previdência na CCJ da Câmara, a colunista Míriam Leitão aponta os erros estratégicos cometidos pelo governo durante a tramitação da PEC. Dentre eles, ela cita o sigilo decretado sobre os dados e estudos que embasaram o projeto — sigilo para o qual, diz, “não há motivo razoável”. Outro ponto citado é o déficit do sistema previdenciário dos militares, quantificado em R$ 20 bilhões pelo governo quando, na verdade, o valor real do rombo de todo o sistema seria mais do que o dobro desse número. O principal erro, no entanto, seria a mudança do BPC, baseada em cálculos que não são esclarecidos pelo governo e que dá à oposição o argumento de que a reforma prejudicará os mais pobres.

A coluna, publicada no Globo nesta terça-feira, 23, também critica questões como a alíquota efetiva de contribuição dos servidores (o número divulgado pelo governo é a tarifa nominal de 22%, mas a taxa efetiva será de 16,79%); o tempo gasto no debate em torno do modelo de capitalização (que ainda não está decidido); a inclusão da idade máxima para aposentadoria compulsória; e o fim do FGTS para trabalhadores aposentados que voltam à ativa. Vale lembrar que, na CCJ, só será debatida a constitucionalidade da PEC, e que seu conteúdo será avaliado futuramente na comissão especial.

Tudo o que sabemos sobre:

reforma da previdênciaCCJerrosestratégia