por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Escritório de favorito a PGR tem processos em tribunais superiores

Equipe BR Político

Candidato forte na disputa ao cargo de procurador-geral da República, o procurador e advogado Augusto Aras afirmou que devolverá sua carteira da OAB e abandonará o escritório do qual é sócio com outros quatro parceiros, em entrevista à BBC Brasil, caso seja escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro para substituir Raquel Dodge. “Se houver indicação, devolverei minha carteira da OAB, como fizeram todos os procuradores-gerais que me antecederam, e sairei da sociedade (de advogados) da qual sou mero consultor”, disse ele, por meio de seu assessor de imprensa à publicação.

Segundo o site, o procurador e seus sócios “figuram em 460 processos no Supremo Tribunal Federal (STF), no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE)”. A maioria deles já foi arquivada. À Folha, Aras afirmou que se afastou da advocacia há seis anos.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Augusto ArasPGR