Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Esperança de democratas no Senado é frustrada e partido pode não ter controle

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

A expectativa dos democratas de conseguir aumentar a representatividade parlamentar principalmente no Senado, que até este ano é controlado por republicanos, tem sido frustrada durante a apuração dos votos legislativos nos Estados Unidos nesta quarta-feira, 4. Com previsões de vitória que levam a presença do partido a 47 cadeiras até a noite de hoje, contra 48 dos republicanos, e apenas 5 cadeiras restantes para definição, o otimismo democrata começa a se dissipar. 

Em Estados onde o partido investiu somas recordes, como Iowa, Montana, Carolina do Sul e Texas, os republicanos foram os que obtiveram vitórias importantes. Com o desempenho aquém do esperado, o jogo pelo controle da Casa começa a ficar difícil para o partido de Joe Biden.

O democrata Joe Biden em campanha

O democrata Joe Biden em campanha Foto: Roberto Schmidt/AFP

A vitória inesperada da senadora republicana Susan Collins no Maine fez com que as chances do partido de Trump de manter o controle da Casa aumentassem significativamente. Com a derrota do senador democrata Doug Jones no Alabama, ainda as esperanças estão na Geórgia, onde a disputa por pelo menos uma das cadeiras deve ir para um segundo turno em janeiro com um democrata como favorito. Se tiverem sucesso, os democratas conseguiriam ao menos tentar uma chance pelo empate de cadeiras no Senado.

Na Câmara, os correligionários de Joe Biden seguem com maioria até o momento de acordo com as previsões, mas o partido já perdeu algumas cadeiras aos republicanos. O controle das duas Casas é crucial ao presidente e pode definir se as pautas do chefe do Executivo andarão ou ficarão travadas, atrapalhando a governabilidade. O Senado tem inclusive o domínio sobre as indicações de juízes e sobre a agenda legislativa.

/Com informações do New York Times