Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

EUA: Atenções se voltam para disputa no Senado

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Terminada a eleição, republicanos e democratas já marcaram um novo duelo. O local é o Estado da Geórgia, onde as duas disputas para o cargo de senador serão decididas no segundo turno, dia 5 de janeiro. Em jogo, estão o controle do Senado e a estabilidade do próximo presidente. Por isso, nas próximas semanas, o aparato partidário, as atenções da imprensa e o dinheiro de doadores serão canalizados para a campanha no Estado, informa o Estadão.

Neste ano, a Geórgia passou por uma situação inusitada: duas eleições para senador ao mesmo tempo. Na primeira, o republicano David Perdue tentou a reeleição contra o democrata Jon Ossoff. A segunda foi uma eleição especial, após a renúncia do republicano Johnny Isakson. A republicana Kelly Loeffler enfrentou o democrata Raphael Warnock.

De acordo com a lei estadual, a vaga é decidida em dois turnos – uma situação incomum nos EUA. E foi o que aconteceu em ambas as disputas. Perdue obteve 49,8% dos votos e Ossoff, 47,9%. Na outra eleição, Warnock conseguiu 32,9% votos e Loeffler, 25,9%.

Se as projeções se confirmarem, os republicanos ficarão com 50 dos 100 senadores. Os democratas, com 48. As duas disputas na Geórgia, portanto, passaram a significar o controle do Senado – em caso de empate, 50 a 50, o voto decisivo, segundo a Constituição americana, caberá à vice-presidente, Kamala Harris.

Tudo o que sabemos sobre:

senadoEUARepublicanosGeorgia