por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Ex-assessor confirma repasse de salário a Queiroz

Vera Magalhães

O primeiro ex-assessor a depor no inquérito que apura as movimentações bancárias atípicas de funcionários do gabinete de Flávio Bolsonaro confirmou ao Ministério Público que repassava todo mês 66% do seu salário a Fabrício Queiroz –que, segundo relatório do Coaf, movimentou R$ 1,3 milhão em um ano em sua conta e recebia depósitos de vários assessores do gabinete.

O Estadão teve acesso ao depoimento, dado em 11 de janeiro. Agostinho Moraes da Silva disse que depositava cerca de R$ 4.000 na conta de Queiroz a título de “investimento” no negócio de compra e venda de carros, e que recebia “retorno” de valores entre R$ 4.500 e R$ 4.700 em espécie. Ele não apresentou nenhum documento que comprove as declarações. Ele afirmou que não comparecia sempre ao gabinete e declarou não conhecer outras quatro funcionárias.