Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Ex-chanceler argentino diz que país não cairá em ‘provocações’

Equipe BR Político

Com uma possível vitória da chapa liderada por Alberto Fernández e pela ex-presidente Cristina Kirchner se aproximando, o ex-chanceler dos governos de Néstor e Cristina e atual secretário de Relações Internacionais do Partido Justicialista (PJ), Jorge Taiana, afirmou que, mesmo com as “provocações” do governo brasileiro, a Argentina está ciente de que o Brasil é um aliado estratégico. “Ninguém poderá salvar-se sozinho nesta nova etapa da globalização.(…) Para nós o Brasil e toda a América do Sul são essenciais. Falar em isolamento é imprudente”, disse, em entrevista ao Globo. “Não vamos cair em provocações”.

O chanceler disse que o presidente brasileiro, apesar das diferenças ideológicas, provavelmente seria convidado para uma eventual posse de Fernandéz. Quando questionado se o candidato, caso vença, viria ao Brasil logo no início do mandato, o chanceler hesitou. “Veja, todos achamos que essa relação é muito importante. Agora, veremos a forma. As declarações de Bolsonaro não colaboram muito”.

Taiana também indicou a vontade do um possível governo Fernández em rever o acordo negociado entre o Mercosul e a União Europeia, que, segundo o secretário, “não é equilibrado”. “Com esse acordo nossos países perdem preferências”, afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:

eleições argentinasgoverno Bolsonaro