Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Fernández e Macri lamentam morte de Maradona

Cassia Miranda

Exclusivo para assinantes

Adversários políticos, o ex e o atual presidente da Argentina, Maurício Macri e Alberto Fernández, respectivamente, lamentaram há pouco, nesta quarta-feira, 25, a morte do ex-jogador argentino Diego Armando Maradona, aos 60 anos.

Maradona e Fernández em encontro na Casa Rosada, em 2019. Foto: Reprodução/Twitter

O craque sofreu uma parada cardiorrespiratória em sua casa na cidade de Tigre, segundo o jornal argentino Clarín.

“Um dia muito triste para todos os fãs de futebol do mundo, principalmente os argentinos. As enormes alegrias que o Diego nos deu serão inapagáveis”, escreveu Macri no Twitter.

No final do ano passado, ao visitar a Casa Rosada, sede do governo argentino, Maradona foi a uma sacada e gritou: “Eles não voltam mais! Que Macri vá morar na Tailândia!”.

Na ocasião, o ex-camisa 10 da seleção argentina estava no palácio do governo para se reunir com Fernández, que na época, tinha recém tomado posse como presidente.

“Você nos levou ao topo do mundo. Você nos fez imensamente felizes. Você foi o maior de todos. Obrigado por ter existido, Diego. Nós vamos sentir sua falta para a vida”, lamentou Fernández nas redes sociais.

Foto: Reprodução/Twitter