Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

‘Coisas do destino’: Collor na mira da PF

Equipe BR Político

“São coisas do destino”, disse o senador e ex-presidente Fernando Collor (PROS-AL) quando questionado, em uma entrevista ao Valor publicada nesta sexta-feira, 11, se considera ser candidato novamente à Presidência. Mas parece que o destino do senador tem um empecilho: é que, também nesta sexta-feira, 11, foi deflagrada a Operação Arremate, da Polícia Federal, que tem como um dos alvos o ex-presidente. A suspeita é a de que Collor tenha usado leilões públicos como forma de lavar de dinheiro.

Senador Fernando Collor (Pros-AL)

Fernando Collor. Foto: Pedro França/Agência Senado

Como informa o Estadão, os supostos crimes teriam ocorrido a partir da compra de imóveis em hastas públicas em 2010, 2011, 2012 e 2016. Hastas são ato da justiça pelo qual são vendidos bens de um devedor, para que, com o dinheiro da venda, possa-se pagar a um credor. Segundo a PF, Collor teria usado um “testa de ferro” para que não fosse diretamente ligado ao esquema. Os imóveis arrematados para a lavagem de dinheiro valeriam, somados, R$ 6 milhões. “As compras serviriam para ocultar e dissimular a utilização de recursos de origem ilícita, bem como viabilizar a ocultação patrimonial dos bens e convertê-los em ativos lícitos”, diz a Polícia Federal.

Os cerca de 70 policiais envolvidos na Operação cumprem, por ora, apenas mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao ex-presidente em Maceió (AL) e em Curitiba (PR).