Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Fim de ano amargo para Davi Alcolumbre

Cassia Miranda

Exclusivo para assinantes

O fim de ano está sendo implacável politicamente com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) no início do mês a tentativa do parlamentar driblar a Constituição em busca da reeleição no Senado, no domingo, 20, o senador amapaense sofreu uma nova derrota. Desta vez, em seu próprio território eleitoral.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre Foto: Dida Sampaio/Estadão

Trata-se da derrota de seu irmão, Josiel Alcolumbre (DEM-AP), na disputa pela prefeitura de Macapá. O candidato do Cidadania,Dr. Furlan, venceu com 101.091 votos, o equivalente a 55,67% dos votos válidos, ante 80.499 votos de Josiel, o que representa 44,33% do total.

Após liderar com vantagem na maior parte do primeiro turno, o apagão que atingiu o Amapá em novembro foi decisivo para a disputa. Quanto mais tempo o Estado ficava no escuro, mais a campanha de Josiel desidratava. Não por acaso, ainda durante a campanha, o presidente do Senado afirmou que seu irmão foi o mais prejudicado pela crise elétrica no Estado.

Nesta segunda, sem a mesma força política que tinha antes dos dois “baques” amargos deste fim de ano, Davi deve retornar de Macapá a Brasília para seguir com as articulações para sua sucessão no comando do Senado. O candidato favorito do atual presidente da Casa é o senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG).