Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

‘Fizemos o que estava ao nosso alcance para a retomada do Conselho de Ética’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Em uma resposta a uma crítica do deputado Alexandre Leite (DEM-SP), o presidente do Conselho de Ética da Câmara, Juscelino Filho (DEM-MA), afirmou que foi feito “tudo que estava ao alcance” para que a comissão retomasse os trabalhos, algo que ainda não foi possível. “Treinamos os servidores e protocolamos o PRC 43/2020, em junho. Esse Projeto de Resolução, que precisa ser aprovado em plenário, é que vai permitir as reuniões remotas do Conselho de Ética”, disse.

Leite criticou justamente que, sem o conselho, parlamentares tem abusado de prerrogativas sem medo de punição. “A impunidade passa a impressão de corporativismo parlamentar e a sensação de impotência perante os abusos e excessos, vez que o órgão habilitado a relativizar a imunidade parlamentar permanece inoperante, trata-se de órgão julgador e como tal deveria estar operante”, disse.

Dentre os parlamentares que estão na lista para serem julgados pelo Conselho estão Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, e mais uma leva de bolsonaristas da Câmara. A última reunião do conselho foi antes da pandemia de coronavírus modificar o ritmo dos trabalhos, em 10 de março.