Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Flávio Bolsonaro empregou familiares de miliciano

Vera Magalhães

A mãe e a irmã de Adriano Magalhães da Nóbrega, apontado como um dos líderes do grupo miliciano Escritório do Crime e alvo de operação da Polícia Militar nesta terça-feira para prender acusados de envolvimento no assassinato da vereadora Marielle Franco, foram funcionárias do gabinete do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro na Alerj. As informações são do jornal O Globo.

A mãe de Adriano, Raimunda Veras Magalhães, e a mulher, Danielle Mendonça da Costa da Nóbrega, recebiam salário de R$ 6.490 no gabinete de Flávio Bolsonaro até novembro de 2018. Raimunda foi uma das assessoras que fizeram depósitos na conta de Fabrício Queiroz. Em nota, Flávio Bolsonaro se queixou de tentativa de difamá-lo e afirmou que as contratações foram responsabilidade de Queiroz.