Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Flávio diz que fica ‘com a verdade’ ao seu lado

Equipe BR Político

O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) divulgou um vídeo em seu perfil do Twitter em resposta ao áudio de WhatsApp que mostra que, em junho deste ano, seu ex-assessor Fabrício Queiroz dizia a um interlocutor que há “mais de 500 cargos” à disposição na estrutura ligada à família Bolsonaro, com salários de até “20 contos”. O parlamentar afirma, no entanto, que não fala com Queiroz há mais de um ano. Segundo ele, fica “claro” no material revelado pelo Globo que o ex-assessor “não tinha nenhum acesso a meu gabinete”.

O Ministério Público começou a investigar por que Queiroz, de janeiro de 2016 a janeiro de 2017, movimentou em uma conta mais de R$ 1,2 milhão, quantia considerada incompatível com a renda do ex-assessor. Ele trabalhava para Flávio, oficialmente, como motorista. Em maio, a Justiça do Rio autorizou a quebra de sigilo bancário e fiscal do senador e de Queiroz, atendendo um pedido do Ministério Público Estadual do Rio.

Um mês depois, porém, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, suspendeu, a pedido da defesa de Flávio, todos os processos judiciais que tramitam no País onde houve compartilhamento de dados da Receita Federal, do Conselho de Controle de Atividades Financeiras e do Banco Central com o Ministério Público sem uma prévia autorização judicial.

Ele termina seu vídeo dizendo que está tranquilo e que fica com a verdade a seu lado. Relembre o Caso Queiroz aqui.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Flávio BolsonaroFabrício Queiroz