Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Flávio diz que não poderá comparecer em acareação com Marinho

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

A defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) afirmou que seu cliente não estará disponível para acareação com o empresário Paulo Marinho na data marcada pelo Ministério Público Federal, no dia 21 de setembro. Os advogados do filho do presidente Jair Bolsonaro alegam que, por ter direito a foro especial em Brasília, o parlamentar tem direito a escolher uma nova data. “Além disso, o senador irá usar a prerrogativa de seu cargo para marcar o encontro no Senado, em Brasília, onde exerce a sua função parlamentar e reside, e não no Rio de Janeiro, onde a investigação é conduzida”, diz em nota.

Marinho, que é seu suplente, afirmou em entrevista à Folha de S.Paulo e a investigadores que Flávio lhe informou que recebera por antecipação a informação de um agente da Polícia Federal de que a operação Furna da Onça, contra seu ex-assessor Fabrício Queiroz, seria atrasada para não prejudicar o segundo turno da eleição de 2018. Flávio nega que tenha dito a Marinho que fora alertado sobre a ofensiva policial.

Apesar de não ter sido alvo da Furna da Onça, que mirou em pagamentos de propina na Assembleia Legislativa do Rio, foi um relatório produzido no âmbito da operação pelo antigo Coaf que identificou as movimentações atípicas nas contas de Queiroz. Hoje, o Ministério Público no Rio de Janeiro apura suspeitas de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa envolvendo o filho do presidente. Ele nega as acusações.

Tudo o que sabemos sobre:

acareaçãoFlávio BolsonaroPaulo Marinho