Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Flávio nega ter sido avisado de operação em depoimento

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) negou ter recebido informações privilegiadas sobre a Operação Furna da Onça em 2018 em depoimento ao Ministério Público Federal nesta segunda-feira, 20. A operação revelou movimentações suspeitas nas  contas de seu ex-assessor Fabrício Queiroz e deflagrou uma investigação sobre possíveis “rachadinhas” em gabinetes da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), incluindo o de Flávio quando era deputado estadual.

O senador Flávio Bolsonaro

O senador Flávio Bolsonaro Foto: Beto Barata/Agência Senado

Em maio, o empresário e atual suplente do filho do presidente no Senado Paulo Marinho (PSDB-RJ) havia afirmado que Flávio foi avisado da operação antes de sua deflagração, em 2018, o que teria permitido ao então deputado estadual exonerar Queiroz antes do segundo turno das eleições daquele ano. O senador foi ouvido na condição de testemunha em seu gabinete, em Brasília, pelo procurador Eduardo Santos de Oliveira Benones, responsável pela investigação que apura as declarações de Marinho.

Ao deixar o Senado após o depoimento, Flávio falou brevemente a jornalistas. “Pelo que parece ele (Marinho) está mais interessado na minha vaga do que de tomar conta da própria vida”, disse. “Isso é página virada, espero que o Ministério Público do Rio e a Polícia Federal tomem as providências com relação às mentiras que ele inventou”, afirmou.

A advogada do senador, Luciana Pires, também negou o suposto vazamento após o depoimento e acusou Marinho de tentar se promover com as acusações. “Nunca chegou ao conhecimento do senador nenhuma informação sobre a Furna da Onça. Ele explicou ao procurador da República inclusive que ele apoiava o deputado André Corrêa, na época, à presidência da Assembleia Legislativa. E se ele soubesse de algum vazamento da Furna da Onça, obviamente ele não apoiaria um alvo da Furna da Onça”, disse. “Isso é mais uma invenção espetaculosa de quem provavelmente quer a suplência ou obter votos, que ele é pré-candidato à Prefeitura da cidade do Rio.”