Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

FMI alerta: Brasil pode viver pior recessão desde 1901

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

A expectativa dos economistas do FMI é de que atividade econômica mundial caia 3% em 2020. Para o Brasil, a previsão é de que a economia encolha 5,3% neste ano e cresça 2,9% em 2021. Em conjunto, países da América Latina devem ter uma queda de 5,2% na atividade em 2020, com recuperação de 3,4% em 2021, informa o Estadão.

Países da América Latina devem ter uma queda de 5,2% na atividade em 2020, com recuperação de 3,4% em 2021

Países da América Latina devem ter uma queda de 5,2% na atividade em 2020, com recuperação de 3,4% em 2021 Foto: Tiago Queiroz/Estadão

A diferença na intensidade da recuperação fica mais gritante quando o País é comparado com economias avançadas. A projeção de crescimento do Brasil em 2020 é 7,5 pontos menor do que a estimativa de janeiro. No caso das economias avançadas, a diminuição na projeção é de 7,7 pontos porcentuais, com expectativa de encolhimento de 6,1% da atividade neste ano.

As perspectivas do FMI para o Brasil são menos otimistas do que as do mercado financeiro e bem diferentes das do governo. No último relatório Focus, a projeção mediana do mercado para o PIB deste ano era de retração de 1,96%. O governo revisou há pouco menos de um mês as projeções e, já em meio às consequências da pandemia, não previu queda no crescimento, mas estabilidade, com 0,02% de resultado no PIB.

Se confirmada a projeção do FMI, o País viverá sua pior recessão desde 1901. A retração mais alta registrada na história recente foi uma queda de 4,35% na atividade econômica em 1990, ano do Plano Collor I.

Tudo o que sabemos sobre:

FMIcoronavírusEconomiaRecessão